A nossa aventura

Mãe… Como tu!

Sabes há dias em que também não tenho vontade de sair da cama, tenho vontade de tapar a cabeça e fingir que não estou ali.

Por vezes o cansaço é tanto que a ideia de ter de colocar os pés no chão quase me dilacera. As noites mal dormidas ou sem dormir de todo são ainda muitas e certos dias sinto que me arrasto de cansaço e que o único modo de agir é entrar no chamado “piloto automático”.

Saio de casa à pressa com o cabelo amarrado num coque, camisola amassada e sapatilhas meio desatadas que por vezes nem ao mesmo par pertencem, fazendo me voltar a casa numa nova maratona sem fim. Em casa fica a louça do pequeno almoço em cima da mesa, por vezes ainda com restos de uma torrada quente.

Tal como tu, tenho dias em que o almoço é de pé entre apanhar e estender roupa, fazer uma sopa ou mesmo umas compras rápidas, mas essenciais.

Também grito. Também choro. Também desespero. Também não sei o que fazer para o jantar, ou quando vou ter tempo para aquele café com aquela amiga. Também…….

….também me questiono sobre este ritmo louco, esta falta de tempo, este frenesim que é a nossa rotina. Mas enquanto não me faltar o tempo para o olhar e amar, vamos continuando um dia de cada vez. Vou aproveitando todos os sorrisos, miminhos e brincadeiras, vou construindo o nosso castelo repleto de felicidade. Largamos os telemóveis, colocamos música e dançamos, cantamos e somos tão, mas tão felizes.

Nessas alturas foco-me em nele, nas suas gracinhas e sorrisos, suas descobertas e traquinices e parece o que mundo para só para nós.

Como tu, sinto que as horas no dia não chegam para todas as tarefas, mas deito-me todos os dias com o coração cheio de risos e gargalhadas.

Sei que o digo milhares de vezes, mas aquele sorriso maroto e o olhar desafiador imprimem em mim uma dose de energia como que se de um vicio se tratasse. A afinal de contas o que será mais viciante que o amor?

Sou uma mãe como tu, sabes?! Também tenho medos (e não são assim tão poucos quanto isso), dúvidas também me tiram o sono, os comentários de terceiros questionam igualmente todas as minhas decisões.

Por isso, aguenta firme mesmo nos momentos mais duros e lembra-te sempre: Não estás sozinha, eu sou uma mãe como tu!

Partilhar

Deixe uma resposta