A nossa aventura

Birras, birras e mais Birras!

Já não é a primeira, segunda ou terceira vez que o José faz birras em público.

É um bebé e é perfeitamente normal que o faça, até porque está a entrar na fase de se descobrir enquanto pessoa com vontades próprias, desejos, medos e é a sua maneira de se expressar… Normalmente, abraço-o e vamos para um local mais calmo e por entre muitos carinhos, colinho, mimos e maminha vai acalmando e voltamos a ser os dois.

Mas normalmente, no meio de toda a pressão, de toda a ansiedade que a situação só por si já acarreta, existem sempre olhares, sussurros ou mesmo comentários relativamente à nossa prestação como mães e em relação a como educamos os nossos filhos. Quem ainda não ouviu um tipo “Se fosse meu filho, levava uma palma que a birra lhe passava num instante” ou “Que bonito deixar um filho fazer estas figura” que se prepare pois existe (quase) sempre uma alminha que se acha nesse direito.

Hoje, pela primeira vez, isso não me aconteceu!

Num encontro de mães “carregadeiras” (mães que praticam babywearing) o José após muita animação, e sem nada fazer prever tamanha explosão, começou com a sua birra. Gritou, chorou, queria colo e, ao mesmo tempo, ficar no chão. Tentei de todas as maneiras que me lembrei acalma-lo e nada parecia resultar.

É nestas alturas que fico ainda mais nervosa, quando sinto todos os olhares colados em nós, mas desta vez isso não aconteceu! Todas as conversas continuavam a fluir, ninguém fazia comentário em relação à birra. Ninguém duvidou da minha capacidade de ser mãe.

Respirei fundo.

Embora ele continuasse a gritar senti-me a descontrair. Quanto mais descontraída estava, mais ele acalmava. Até que parou.  Passeamos mais um pouco longe de todos os olhares antes de voltar para casa e colocar este episódio para trás das costas.

Não seria maravilhoso viver num mundo em que em vez de julgar as mães nos momentos mais difíceis, as apoiássemos? ♥

Partilhar

Deixe uma resposta