A nossa aventura

E quando a mãe tem de trabalhar…

Dói. Dói muito todos os dias ter de deixar os nossos bebés com outras pessoas, seja uma cresce ou avó. Dói saber que vai ser outra pessoa a acompanhar tantas primeiras vezes nas quais tu não conseguirás estar presente. Dói imaginar que ele vai chorar e tu não estás lá para o confortar.

Não não vale apena fingir que a dor é passageira, pois não é. Apenas nos conformamos com “Tem de ser” ou “É o melhor para ele”. Muitas vezes (a maior parte delas) tem mesmo de ser, mas enquanto mães, isso não torna a nossa consciência menos pesada nem o nosso coração mais leve.

Existem dias em que o simples facto de saber que tenho de levantar, vestir e prepara-lo para o levar me despedaça o coração. Acordamos sempre em cima da hora e todos os dias prometo que me vou levantar mais cedo só para ter mais cinco minutos a olhar para ele mas as noites têm sido tão complicadas que acabo desistir. Deito-me amamenta-lo de e aproveito aqueles momentos tão nossos. Alimento-o, olho-o, amo-o e conforto e preparo o meu coração, preparando-me para o dia que ainda está por vir.

Sei que quando o deixo, que ele fica bem cuidado e que não poderia estar mais feliz a menos que estivesse comigo. Confiei nas auxiliares e educadoras do meu filho. Entreguei-lhes o meu bem mais precioso e (dentro dos possíveis) estou tranquila. Com um ano, corre para os braços delas e solta um sorriso lindo. Gosto delas por gostarem tanto dele. Acalmam o meu coração de mãe sempre que preciso com um sorriso no rosto e sei que só não fazem mais se for totalmente impossível.

E quando o vou buscar ele dá-me o sorriso mais lindo que já vi em toda a minha vida repleto de felicidade, corre para os meus braços, agarra-me com força e eu sinto-me completa novamente.

Não me imagino a deixar o meu filho num sitio em que o meu coração não esteja sossegado e mesmo tentando, não consigo colocar-me na pele de quem o faz. Deverá ser um tormento inexplicável.

Pior ainda é ter toda uma sociedade a julgar as nossas decisões. Se levar-mos os nossos bebés para a creche com 4 meses, estamos a ser irresponsáveis, mas se escolhermos ficar em casa estamos a ser

A todas as mães que como eu fazem este esforço sobre humano que eu: FORÇA! Não vos direi que um dia essa situação vai mudar, mas poderá tornar-se mais fácil de lidar, por aqui ao final de quase 10 meses ainda não o é.

Um xi-♥ a todas as mães que estão a passar por isto.

 

Foto por Simply Click – https://www.facebook.com/photographysimplyclick/

Partilhar

Deixe uma resposta